DAMNARE DIEM

A MALDIÇÃO DA SEXTA-FEIRA 13 SE DEVE À PERSEGUIÇÃO AOS DEFENSORES DO CRISTIANISMO (texto do Grão Mestre da OSMTH MAGNUM MAGISTERIUM SAE D. ALBINO NEVES)


Este ano, pela segunda vez, abordamos o tema sobre a sexta-feira 13, considerada por muitos como uma data da maldição, pois esta data aconteceu em março e se repete pela segunda vez em novembro de 2020. Porque será que um dia do mês quando ocorre em determinado dia da semana tem essa “má” fama? Tudo teve início no ano de 1307, no mês de outubro, época em que a França era um estado falido, regido por Felipe, o Belo, um rei incompetente, ganancioso e ambicioso, com uma mente diabólica, que criou um ardiloso plano para salvar seu reinado da falência. Com objetivo de livrar-se da bancarrota e melhorar os cofres de seu reinado, Felipe aliou-se ao Papa Clemente V, que praticamente era seu refém, para roubar os bens da Ordem dos Cavaleiros Templários, para isso inventou um diabólico plano. A trama ocorrida naquela sexta-feira 13 de outubro ficaria marcada como um dia macabro na história da humanidade, onde os defensores do cristianismo foram covardemente presos e acusados de heresia, as quais o documento de Chinon, encontrado no Arquivo Secreto do Vaticano e que veio à público em 2006, comprovam que não foram cometidas.


A história da humanidade sempre mostrou que a ambição do homem leva ele agir de forma incompatível com os princípios cristãos, objetivando apenas os seus interesses pessoais, suas vaidades e desejos. No mundo de hoje isso não é diferente, pois assistimos no Brasil e em vários países do mundo, governantes corruptos que tiram da boca dos menos favorecidos para abastecer os ricos e poderosos, a fim de sustentarem seus espíritos megalomaníacos. Os Templários combateram bravamente em favor do cristianismo durante o período medieval, preservando os lugares sagrados e tendo o cuidado de proteger as relíquias do cristianismo, que ainda hoje são cobiçadas por muitos. O resultado da covardia cometida contra os Templários em 1307 foi a tortura e a morte de vários Templários que foram queimados vivos nas fogueiras da inquisição, sendo o máximo da tragédia ocorrido em 1314 com a morte de Jacques De Molay às margens do rio Sena, em frente à catedral de Notre Dame, na França.


Apesar de o Rei ter cometido tais crimes, maculando este dia do mês e da semana, a Ordem sobreviveu e continua mais viva do que nunca defendendo os princípios do Cristo e do cristianismo, buscando o renascimento do homem, ou seja, o seu nascimento em espírito, a fim de melhorar a sua estada como ser humano na terra. Daquele dia e mês ficaram as lições de que a ambição, a ganância, a crueldade e a prepotência são capazes de marcarem a história da humanidade de forma trágica e cruel. Da mesma maneira que nos ensina que a omissão é uma forma de o homem compactuar com a injustiça e o crime, o que não deve ser feito pelos seguidores de Cristo. No entanto, a traição e a omissão tiveram um custo, tanto para o rei quanto para o Papa e aqueles que traíram a Ordem, pois na fogueira enquanto seu corpo era queimado, Jacques De Molay clamou “Nekan, Adonai! Chol-Begoal !" , convocando a todos os traidores e malditos para comparecerem ao Tribunal Divino em um prazo não superior há um ano, tendo sua voz sido ouvida e todos que cometeram tais crimes morreram de forma trágica no prazo estipulado. Jacques De Molay também preconizou que até a décima terceira geração do Rei fosse punida, o que também mostra a história que aconteceu.


Não é a sexta-feira 13 que é amaldiçoada, mas aqueles que cometeram e os que cometem crimes bárbaros e violentos contra os defensores do cristianismo e do Cristo.

Ainda hoje, os Templários esperam a desculpa pública pelos crimes cometidos injustamente naquela época. Lembramos que o Papa já veio publicamente pedir desculpas pelos crimes cometidos no período medieval, no entanto, a Ordem aguarda o momento em que Sua Santidade ou seu emissário, venha a público pedir desculpas pelas injustiças cometidas contra os Templários, que nunca faltaram aos seus compromissos com o Cristo e o cristianismo. Em momento algum os Templários revidaram contra a França ou a Igreja, muito pelo contrário, ao longo dos séculos demonstrou que a lei do “dente por dente e olho por olho” foi abolida pelo Cristo, que ensinou a todos que somente a lei do amor, pode fazer com que a humanidade encontre a sua verdadeira evolução espiritual. Todo aquele que busca vingança como forma de revide torna-se cúmplice do mal e não pode ser chamado de cristão, muito pelo contrário, mas de adorador do mal e contra esses o Anjo sempre cobra o preço do desvio, como aconteceu em 1314.


Viva a Ordem Templária!

Viva Jacques De Molay!

Viva nosso Senhor Jesus Cristo!

33 visualizações
 

Formulário de Inscrição

+5551993193125

Carangola, MG, Brasil

©2020 por OSMTH BRASIL. Orgulhosamente criado com Wix.com